WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

LONGA VIDA E LONGA MEMÓRIA – Pelo Prof. Antonio Moreira Neto – NETÃO

.

Muitas pessoas têm a idéia de que a chegada da “velhice” trás a ausência da produção de neurônios. Mentira!
Até o século passado acreditava-se que os humanos já nascessem com todos os neurônios formados. Novos estudos sobre velhice mostraram que o organismo continua produzindo células cerebrais.
Pesquisadores espanhóis detectaram presença de neurônios recém-nascidos, em tecido cerebral de pessoas entre 43 e 87 anos. A pesquisa foi concentrada no hipocampo, a área da massa cinzenta responsável, entre outras coisas, por guardar e recuperar nossas memórias.
Pessoas com Alzheimer têm a região citada acima como a mais afetada pela doença. Eles apresentam queda acentuada e progressiva na geração de novos neurônios.
A evolução das pesquisas científicas no campo da neurociência é importante para o constante aumento da perspectiva de vida. Alguns países já apresentam uma taxa populacional envelhecida. A idade sempre foi sinônimo de evolução intelectual, conhecimento e sabedoria. Para a nova geração fica a frase: Respeito aos mais velhos é obrigação!

(Antônio Moreira Neto – NETÃO, Licenciado em Física pela FACE e Engenheiro Agrônomo pela UFBA. Professor de Física e Química dos Colégios: Durval Libânio, Colégio Santo Antônio e Colégio Nobre)
.

Comentários estão fechados.