WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

MESMO COM TARIFAS IMPOSTAS À CHINA, APPLE NÃO DEVE AUMENTAR PREÇOS

.

Apesar do mais recente episódio dentro da guerra comercial entre Estados Unidos e China, a Apple não deve sofrer tanto quanto se imaginava. O reconhecido analista especializado na gigante de Cupertino, Ming-Chi Kuo, divulgou nota aos investidores traçando uma análise sobre a logística da cadeia de suprimentos da Apple e as consequências das últimas tarifas impostas à China pelo governo dos Estados Unidos. Segundo Kuo, a Maçã está preparada para absorver as despesas extras e as tarifas não levarão a um aumento de preço de seus produtos — pelo menos não a curto e médio prazo.
Além disso, Kuo acredita que a Apple vai trabalhar para impulsionar sua produção fora da China para poder atender à demanda do mercado norte-americano, evitando, assim, as tarifas extras.
O novo relatório de Kuo aparece poucos dias depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estabeleceu uma nova tarifa de 10% sobre os US$ 300 bilhões (R$ 1,1 trilhão) em produtos chineses que são importados pelos EUA. Como resultado, as ações da Apple caíram 2%, já que a empresa havia declarado anteriormente que essa tarifação poderia afetar os preços de todos os futuros projetos da empresa.
De acordo com Kuo, a automação de produção da Apple, combinada com sua participação de mercado dominante nos EUA, ajudará a mantê-la sem maiores problemas no mercado.
Ao passar pelas categorias de produtos mais lucrativas do portfólio da empresa, o analista prevê que a demanda por iPhones nos EUA será totalmente atendida por suas linhas de produção na Índia e no Vietnã já no próximo ano. A demanda pelo iPad, por sua vez, será facilitada por linhas de montagem fora da China, que estão em nível de automação de produção bem avançado.
O mesmo não pode ser dito para os Macs, já que as linhas de montagem da Apple fora da China não serão capazes de atender a demanda dos EUA até 2021. Já os AirPods e o Apple Watch serão montados em mais locais de produção fora da China e não deverão sofrer. (Fonte: Canaltech)

.

Comentários estão fechados.