WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

A DIFÍCIL QUESTÃO PARTIDÁRIA DAS ELEIÇÕES DE 2020 – Pelo Dr. Marcos Neto

.

As eleições de 2020 para as Câmaras Municipais poderão ter resultados imprevisíveis, tudo graças aos maravilhosos legisladores do nosso país, que resolveram usar os vereadores como cobaias, aprovando mudanças absurdas nas regras eleitorais e obrigando os candidatos municipais, não eles próprios, lógico, a praticarem canibalismo eleitoral, em busca da difícil sobrevivência.
Ha algumas eleições passadas, quando os militantes políticos entenderam como funcionavam as regras da eleição proporcional, onde partidos coligados elegeriam um vereador pra cada vez que atingissem o coeficiente eleitoral do município, a vida dos candidatos detentores de mandado se tornou mais difícil , pois passaram a ocorrer a coligação de pequenos partidos com o objetivo de se eleger ao menos um vereador, usando como estratégia a não aceitação da candidatura de vereadores no exercício do cargo. Isso deu muito certo e por um tempo trouxe uma salutar renovação nas câmaras. Entretanto com a mudança das regras, onde não será mais aceita a coligação entre partidos para eleições proporcionais, a lógica tende a mudar consideravelmente e vereadores que exercem mandato, serão importantes para que se possa atingir o famigerado coeficiente eleitoral.
Qualquer um minimamente consciente, sabe que vereador candidato à reeleição tem algumas vantagens, como uma base consolidada de eleitores, um potencial maior de obter ajuda financeira da chapa majoritária, entre outras, mas partidos que não poderão se coligar e ainda perseguidos pelo fantasma da cláusula de barreira, poderão não obter coeficiente e ter expectativas frustradas. Outro aspecto relevante, é o respeito que os partidos precisam ter com os vereadores eleitos por ele, uma coisa seria uma agremiação partidária com bons candidatos admitirem um vereador em suas fileiras, não seria uma atitude inteligente, outra muito diferente, seria tentar se livrar dos eleitos pelo partido, o que não me prece uma atitude correta.

(Marcos Neto, é presidente Municipal do Partido Solidariedade e Engenheiro Agrônomo)
.

Comentários estão fechados.