WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

NEYMAR NÃO RECEBE NENHUM VOTO NA ELEIÇÃO DO MELHOR DO MUNDO DA FIFA

.

Pouco depois de entregar todos os troféus na cerimônia realizada nesta segunda-feira, em Milão, a Fifa divulgou os números das votações que elegeram os vencedores das principais categorias da sua premiação. Na principal delas, que consagrou Lionel Messi pela sexta vez como melhor jogador do mundo, um recorde entre os homens, o brasileiro Neymar, do Paris Saint-Germain, nenhum mísero voto neste pleito que elegeu o maior craque do mundo na temporada 2018/2019.
O argentino do Barcelona triunfou com 46 pontos no sistema de votação criado pela entidade. O zagueiro holandês Virgil Van Dijk, do Liverpool, ficou em segundo lugar, superando o português Cristiano Ronaldo, o outro finalista da maior honraria da noite.
Na votação, que contou com a participação de dezenas de jornalistas, técnicos de seleções nacionais e seus respectivos capitães, Van Dijk somou 38 pontos, enquanto o astro português da Juventus veio logo atrás, com 36. E o Top 5 da votação foi fechado pelo egípcio Mohamed Salah e pelo senegalêsSadio Mané, atacantes do Liverpool, que somaram 26 e 23 pontos, respectivamente.
O francês Kylian Mbappé (Paris Saint-Germain), o holandês Frenkie De Jong (ex-Ajax e hoje no Barcelona), o belga Eden Hazard (ex-Chelsea e atualmente no Real Madrid), o holandês Matthijs De Ligt (ex-Ajax e agora atleta da Juventus) e o inglês Harry Kane, do Tottenham, finalizaram, nesta ordem, o grupo dos dez mais votados.
Técnico da seleção brasileira, Tite escolheu Van Dijk como o melhor do mundo na última temporada, deixou Messi em segundo lugar e Mané em terceiro. Já o lateral-direito Daniel Alves, capitão do Brasil, elegeu o argentino como maior craque, colocou o senegalês do Liverpool como o segundo melhor e o zagueiro holandês como o terceiro.
KLOPP VENCE FÁCIL
Na votação em que Jürgen Klopp, do Liverpool, foi eleito o melhor técnico, o alemão ganhou esta disputa com facilidade, somando 48 pontos, contra 38 do espanhol Pep Guardiola, do Manchester City, que contabilizou 38. Vice-campeão europeu pelo Tottenham na temporada passada, o argentino Mauricio Pochettino teve 27 como terceiro colocado.
Já na briga pelo prêmio de melhor jogadora do mundo, a norte-americana Megan Rapinoe triunfou com 46 pontos, enquanto a sua compatriota Alex Morgan ficou em segundo lugar, com 42, e inglesa Lucy Bronze, outra finalista, foi a terceira com 29.
Jill Ellis, também dos Estados Unidos, foi eleita a melhor técnica do mundo de um time feminino, com 48 votos, enquanto Sarina Wiegman, vice-campeã do mundo pela Holanda, foi a segunda colocada, com 40, e Phil Neville, comandante da seleção feminina inglesa, terminou em terceiro lugar, com 31. (Fonte: MSN)

.

Comentários estão fechados.