WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

GANDU AO LÉU-LALAU… NECOMIGO NÃO… É FAKE NOTÍCIA PUBLICADA DE QUE HAVERIA UMA TERCEIRA AUDITORIA PELO TCM NA PREFEITURA DE GANDU

.

Na semana passada, recebemos em nosso zapp enviada por uma amiga, um link (não entendo direito, sou analfabeto digital), com a seguinte manchete: TCM VAI REALIZAR NOVA AUDITORIA EM OBRAS AINDA NÃO CONCLUIDAS EM GANDU.
Como temos por lema, publicar só verdades, fomos verificar se havia fundamento na notícia, já que estamos engajados na campanha para por fim a FAKE NEWS, cuja CPMI é presidida pelo nosso amigo senador Ângelo Coronel e que tem como relatora a deputada Lídice da Mata.
Fomos “in loco” (expressão em latim, que significa “no lugar” ou “no próprio local”) apurar a veracidade da notícia e constatamos que não é nada disso. É notícia velha, requentada.
A verdade é que o Tribunal de Contas dos Municípios-TCM, realiza rotineiramente auditorias temáticas em secretarias específicas das prefeituras, principalmente na Saúde, Educação, Transporte Escolar etc, assim como de acompanhamento em relação á contratação e execução de obras e aquisição de serviços. Como também realiza inspeções e outras ações de fiscalização, isto com o objetivo de agor preventivamente, no sentido de evitar eventuais prejuízos ao erário.
Os municípios objetos destas auditorias ou inspeções, são selecionados a partir de uma base de dados sobre riscos. Segundo ainda a fonte, esta base de risco é formada a partir da análise do volume de recursos empregados; empresas envolvidas; ocorrências de desrespeito às normas de licitação, entre outras.
E tem mais… não é porque uma prefeitura recebe a visita de uma fiscalização do TCM ou de outro órgão, que esteja havendo irregularidades, é um direito, um dever, uma obrigação dos órgãos fiscalizadores, fiscalizar. Quem é caixa de banco como já fomos no antigo BANEB, hoje deve ser a mesma coisa, de vez em quando chegava uma fiscalização que ia direto aos caixas. Parava-se o atendimento e eles fiscalizavam. Não porque os caixas eram suspeitos de algum desvio, mas por ser dever da fiscalização. E até hoje deve ser assim, não pode sobrar e principalmente faltar, ou melhor, o CRIME era o mesmo… faziam um relatório que encaminhavam á diretoria do banco.
Não existe nenhum demérito uma prefeitura ser fiscalizada, não há nenhum pré-julgamento. A auditoria é realizada – em diversos municípios – e depois os relatórios são encaminhados aos gabinetes dos conselheiros. Havendo alguma irregularidade, aplica-se a sanção devida. Não tendo sido constada irregularidade, o processo é arquivado.
No ano passado, foi realizada uma auditoria na prefeitura de Gandu, foi feito o relatório, que desconhecemos o seu teor, não podemos dizer o que foi constatado e ainda não foi relatado pelo conselheiro Paulo Marconi. Em sendo assim, não foi incluído em pauta para exame pelo plenário.
O BLOGDOZEBRAO acredita, estar prestando um serviço de esclarecimento aos seus leitores.

.

Comentários estão fechados.