WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

MESMO MAR, VÁRIAS EMBARCAÇÕES: RESILIÊNCIA – Pelo Prof. ZENILDO SILVA-ZOOM

.

Em meio a várias reflexões sobre o impacto da pandemia e dos resultados emocionais causados por ela na população, é preciso entender como sairemos desse contexto e quais aprendizagens teremos. O isolamento social nos proporciona entrar em contato com nossos próprios mecanismos de defesa, e olhar de frente pensamentos, comportamentos e decisões durante essa fase tão delicada, ressignificando e redirecionando nossas ações. Uma coisa temos certeza, não seremos os mesmos depois de tudo isso.
Estamos todos no mesmo mar, mas com embarcações diferentes. Alguns com lanchas outros de canoas, o que sabemos é que as condições sociais e emocionais contribuem para que cada pessoa corresponda ao momento de um jeito. Dizer que todos estamos passando pelos mesmos problemas não é o sensato, pois cada ser humano tem uma forma de lidar com isso. No geral, perdemos a liberdade, a autonomia, a pseudo segurança que fantasiamos durante toda a vida. Perdemos nossa organização financeira, perdemos nossa “certeza” ilusória de controlar nossas próprias vidas, perdemos inclusive a zona de conforto de nossos papéis profissionais, reinventados na pandemia.
Em contrapartida, ganhamos mais tempo com nossas famílias, mais tempo para avaliar e refletir a vida. Há quem se sinta atarefado pela profissão, e ainda mais afastados dos entes queridos, sendo fadados a viverem de tecnologia para se aproximar das pessoas que amam, os professores que o diga.
Diante de tudo isso, a ideia de resiliência é que as pessoas ao invés de se fragilizarem diante de acontecimentos, consigam meios para se fortalecerem aprendendo com o momento, tudo é experiencia. O interessante é que não seremos os mesmos depois de tudo isso, reaprenderemos a viver e tratar o outro, a sentar e conversar, a desfrutar dos momentos com o próximo, sentiremos a necessidade de tocar mais, senti mais…

(ZENILDO SANTOS SILVA, Bacharel em Psicologia, Psicopedagogo e Mestrando pela UFSB em Ensino e Relações Étnicos Raciais)
.

Comentários estão fechados.