WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

QUEM É DANIEL SILVEIRA O NOVO ÍDOLO DOS BOLSONARISTAS ALOPRADOS – Por Zebrão

.

Ficamos mais uma vez espantados, com as atitudes dos bolsonaristas apaixonados. Aqueles que denominamos DEVOTOS. Aqueles que não são apenas eleitores, mas integrantes da seita. Devemos separar uma coisa da outra.
As VIÚVAS estão nas redes sociais até hoje, revoltados, indignados, com a confirmação pela Câmara dos Deputados, da prisão pelo STF do grande (no tamanho) deputado Daniel Silveira.
Daniel Silveira, antes de tornar-se deputado (só mesmo no Rio de Janeiro), praticou uma série de travessuras como cidadão. O BLOGDOZEBRAO, após minuciosa pesquisa, conseguiu apurar alguma coisa, que diz, quem era o cidadão Daniel antes de tornar-se deputado.
A Polícia Militar do Rio de Janeiro reprovou, em 2010, a entrada de Daniel Silveira na corporação durante a pesquisa social feita pelo então candidato a soldado. De acordo com o documento, Daniel descumpriu requisitos como ter boa conduta social e não haver praticados atos considerados incompatíveis com a honra do policial militar.
Daniel Silveira era investigado pela Polícia Civil pela suspeita de FURTO DO CARIMBO DE UMA MÉDICA PARA FRAUDAR ATESTADOS QUANDO ERA COBRADOR DE UMA EMPRESA DE ÔNIBUS EM PETRÓPOLIS, na Região Serrana do Rio.
Para entrar na corporação, Daniel obteve uma decisão judicial, em 2013, que garantiu seu ingresso na PM do RJ. Em 2014, o caso foi arquivado pela Justiça.
DECISÃO JUDICIAL PARA ENTRAR NA PM
Quando era policial militar, o deputado federal Daniel Silveira (PSL), em que defende o AI-5 e destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal – recebeu SESSENTA sanções disciplinares. A informação consta de um processo administrativo da PM.
Na ficha policial, consta que o PM licenciado tinha “MAU COMPORTAMENTO”. Por isso, Silveira ficou 26 dias presos e 54 detido — a prisão ocorre por transgressões mais graves, enquanto a detenção por casos menores.
Daniel Silveira recebeu, ainda na corporação, 14 repreensões e duas advertências, “ficando cristalina sua inadequação ao serviço policial militar”, conforme o boletim.
O processo administrativo contra Silveira na PM apurava a suspeita de:
A – conduta irregular
B – ato que afeta a honra pessoal, o sentimento do dever, a honra policial militar e o decoro da classe
Ainda segundo o documento, “em breve tempo de efetivo serviço policial militar” ele demonstrou “ausência de compromisso e incompatibilidade ao serviço policial militar”.
O processo administrativo foi arquivado quando Daniel Silveira se licenciou ao ser eleito deputado federal, em 2019.
Um dos desvios de conduta apontados no boletim interno da PM datado de julho de 2019 está uma postagem do então policial militar em uma rede social.
“Na medida em que postou vídeos em sua página pessoal da rede social Facebook, pag 14, com comentários ofensivos e depreciativos em desfavor de integrantes da imprensa nacional de uma forma geral, em alguns deles durante a execução do serviço, fardado e no interior da viatura, erodindo preceitos éticos em vigor da Polícia Militar e repercutindo negativamente a imagem da corporação”.

‘INSPEÇÃO’ DE COLÉGIOS
Antes mesmo de ser diplomado deputado, em novembro de 2018, o parlamentar eleito resolveu “inspecionar” o Colégio Estadual Dom Pedro II e, depois, disse que a diretora da unidade havia “entregado as chaves do colégio para vagabundos” em 2016, durante manifestações do movimento estudantil. Não há provas que corroborem a versão dele; Silveira afirmou que o colégio é um lugar que “fede a marxismo cultural”.
DESTRUIÇÃO DE PLACA EM HOMENAGEM A MARIELLE

Então candidato, o deputado se envolveu em sua primeira polêmica ao posar junto de aliados com uma placa quebrada com o nome de Marielle Franco, ex-vereadora do Rio de Janeiro assassinada, em 2018. O candidato a deputado federal Daniel Silveira, quebrou ao meio a placa, colocada em uma das esquinas da Praça Floriano, na Cinelândia, no centro do Rio, por apoiadores da vereadora. Ele defendeu que houve uma “depredação do patrimônio público” por parte de aliados de Marielle ao “removerem ilegalmente” a placa com o nome original, “colando uma placa fake”. “Preparem-se, esquerdopatas: no que depender de nós, seus dias estão contados”.
COMO DEPUTADO SEMPRE SE MANTEVE EM EVIDÊNCIA DE FORMA NEGATIVA
PGR APONTA PARA RELAÇÃO DE DANIEL SILVEIRA COM BLOGUEIROS E EMPRESÁRIOS NA ORGANIZAÇÃO DE ATO ANTIDEMOCRÁTICO
O BLOGDOZEBRAO salienta, que a Procuradoria-Geral da República (PGR) o seu procurador é nomeado pelo presidente da República dentre integrantes da carreira com mais de trinta e cinco anos de idade e as investigações promovidas pela PGR apontam para uma relação entre o deputado federal preso Daniel Silveira (PSL-SP) e empresários e blogueiros bolsonaristas, na organização de ato antidemocrático no Quartel do Exército em Brasília, no Distrito Federal.
A manifestação marcada por ataques e pedidos de fechamento do Congresso e Supremo Tribunal Federal (STF) ocorreu no dia 19 de abril.
As publicações de Silveira foram o motivo principal para que a PGR pedisse a abertura do inquérito contra o deputado.
As informações preliminares indicam que o deputado e os empresários e blogueiros atuaram em conjunto nas redes sociais para impulsionar a manifestação, que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro.
Um dos empresários que Daniel Silveira manteve relação foi Otávio Fakhoury, vice-presidente do Instituto Força Brasil, organização que se autodenomina como criada por uma “união de patriotas” que apoiam por forma de “subsídios” os “movimentos ativistas conservadores”. As informações são do O Globo.
Há ainda a suspeita de que o deputado do PSL tenha usado dinheiro público para produção e distribuição de vídeos publicados nas suas redes sociais, nos quais fazia ataques ao poder Judiciário. Ele pagava todo mês R$ 3,5 mil para que uma empresa de comunicação produzisse o material e alimentar as páginas.
AVIÃO DA GOL RETORNA AO AEROPORTO DE SALVADOR PORQUE PASSAGEIRO SE NEGAVA A USAR MÁSCARA. PASSAGEIRO? DANIEL SILVEIRA

Um voo da companhia Gol retornou para o aeroporto de Salvador logo depois de decolar, na manhã de sábado, após um passageiro se recusar a utilizar máscara durante a viagem. Depois que o avião retornou ao terminal da capital baiana, o passageiro foi retirado do voo por agentes da Polícia Federal. [Assista vídeo acima]
Em nota, a empresa informou que o caso ocorreu no voo G3 1865 (Salvador – Brasília) e que, após o desembarque do passageiro, “o restante dos clientes seguiu viagem normalmente, pousando com segurança no Aeroporto de Brasília”.
O voo G3 1865 estava previsto para sair da capital baiana às 6h10 e chegar em Brasília às 8h10. Com o problema, os passageiros só chegaram ao destino por volta das 10h10.
O médico Juscelino Santos, que era passageiro no voo, relatou como ocorreu todo o caso:
“Com 30 minutos de voo, começou todo o mal estar. Alguns passageiros, principalmente umas senhoras idosas pediram pra ele colocar a máscara, e ele disse que não ia colocar, que era besteira, e que não tinha prova de que aquilo servia pra alguma coisa. As senhoras ficaram indignadas, uma até teve um pico hipertensivo. Um dos rapazes foi lá discutiu, e eles foram às vias de fato. Depois um outro senhor também foi às vias de fato com ele”, falou.

Policiais federais foram acionados e tiraram o passageiro do avião

Ainda de acordo com o passageiro, as aeromoças e o chefe da cabine conversaram com ele, mas mesmo assim ele não quis colocar a máscara. Com isso o comandante decidiu retornar para o aeroporto de Salvador.
“A Polícia Federal chegou e ia só conduzir ele, mas na hora que pararam, ele deu um solavanco nos policiais, e aí ele tomou voz de prisão por desacato, falou o médico. A PF confirmou que, a pedido do comandante da aeronave, agentes da corporação retiraram o passageiro que se recusava a utilizar máscara.
A Gol também afirmou que o uso de máscaras é uma questão de segurança coletiva, sendo “obrigatório para todos, com raras exceções”.
Essa não é a primeira vez que o deputado é abordado por causa da recusa de uso de máscara. Em outubro do ano passado, ele tuitou que se recusou a usar máscara no aeroporto do Rio de Janeiro alegando estar amparado pela lei. “Agora no aeroporto, entrei sem máscara e fui abordado uma vez. Expliquei que estou respaldado pela lei 14.019/20 art 3° §7°, com licença médica que me garante o não uso e continuei a missão. Essa focinheira ideológica tem que ser combatida”, escreveu, na época.
No dia 10 de dezembro, ele foi flagrado por passageiros sem máscara em um voo de Brasília para o Rio. O deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) foi retirado de um voo da Gol em Guarulhos no meio de uma conexão que ia do Rio para Brasília. Ele se recusou a usar máscara, o que é obrigatório a todos os passageiros. Silveira se apresentou para embarque informando ser deputado federal e alegando que teria dispensa médica para não utilização de máscara facial. Ele foi informado por um funcionário que teria o embarque negado caso não utilizasse a máscara a bordo. O deputado seguiu adiante pelo finger até a aeronave. Segundo relatório da companhia ao qual o R7 teve acesso, Silveira teria alegado que o voo só sairia com ele a bordo. A Polícia Federal foi chamada para a retirada do parlamentar.
É ESSE O “HERÓI” DOS BOLSONARISTAS. UM HOMEM DE VERDADE, NÃO APLAUDE AS SUAS ATITUDES. SÓ MESMO SENDO DEVOTO, APAIXONADO…

.

Comentários estão fechados.