WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

NADA DE SENSIBILIDADE, SEJA HOMEM! – Pelo Prof. ZENILDO SANTOS SILVA-ZOOM

.

Socialmente quando se deseja que alguém seja corajoso e forte, usa-se a expressão seja homem, quando a pessoa tem o comportamento oposto, chama-se de mulherzinha. Tudo isso acontece porque dos estereótipos, que são padrões engessados, conceito infundado sobre algo, geralmente depreciativo, se baseia nas opiniões alheias e as tornam como verdadeiras, são representações sociais que os pais fazem questão de reproduzir na educação dos filhos.
No contexto cultural, os meninos devem ser machos, e em qualquer contato com o universo de brincadeiras “femininas” serão duramente repreendidos. Assim, as mulheres são o seu oposto, frágeis e tolas. As características comportamentais de medo, tristeza, fragilidades ou fortalezas pertencem a todos os gêneros, não escolhem em que sexo biológico vão se manifestar.

O pior de tudo isso é que todas essas situações estão fortemente impregnadas nos discursos, e passamos a acreditar que é real, assimilamos as vivências sociais e repetimos o tempo todo chavões infundados, depreciando os que não se encaixam nas “normas”.
Não podemos continuar aceitando discursos como: homem não chora; homem que é homem pega todas e etc. A cultura machista está impregnada na sociedade, diante disso, entende-se que os sistemas de ensino e as diversas instituições precisam vivenciar na prática o respeito mútuo, ou começamos a repensar tudo isso, ou os meninos ainda serão proibidos de chorar.

(ZENILDO SANTOS SILVA, Bacharel em Psicologia, Psicopedagogo e Mestrando pela UFSB em Ensino e Relações Étnicos Raciais)
.

Comentários estão fechados.