WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

OPINIÃO DE ZEBRÃO: SENADOR CORONEL ESTÁ ESCONDIDO NA CAMPANHA DE JERÔNIMO. TRAIDOR…

.

Já comentamos algumas poucas vezes, sobre o “sumiço” do senador Coronel na campanha de Jerônimo para governador.
Para recordar, é bom que os leitores refresquem a memória. Coronel um deputado inexpressivo na Asembléia Legislativa, mas que tornou-se íntimo do ex-vice governador e depois senador Otto Alencar, passou a lamber as suas botas e servir de “moleque de recados” do senador, que comprou uma briga com o PP e com o deputado Marcelo Nilo, para fazê-lo presidente da Assembléia Legislativa. Otto e Rui elegeram-no presidente da ALBA.

O deputado Coronel era tão atuante, tão atuante, que por ocasião da sua candidatura à presidente da Assembléia Legislativa, o seu colega Targino Machado usou a tribuna e falou:

“O risco de eleger Ângelo Coronel presidente da ALBA é permitir que a Polícia Federal passe a investigar com frequência a Assembleia”, inferiu. Ao ser questionado sobre o por que da Polícia Federal passar a investigar a ALBA, caso Ângelo Coronel seja eleito presidente, Targino Machado sorriu de forma sarcástica e emendou, “acredito que uma das poucas vezes em que vi o deputado Coronel ocupar a Tribuna do Legislativo foi em dezembro de 2016, se não estou enganado, para comentar sobre a candidatura à presidente. Um deputado de primeiro mandato, ao assistir Coronel discursando, me perguntou se ele tinha assumido recentemente e se era suplente. Assenti que não, e respondi que Ângelo Coronel sempre foi um ilustre ausente”.
A briga foi feia para desalojar Marcelo Nilo da presidência. O governador Rui Costa usou todas as suas forças e todo o seu prestígio para atender um capricho do senador Otto, que queria um pau mandado da presidência, além que fosse do seu partido.
A seguir, a sua vaidade sem precedentes, insuflado pelo senador Otto, fez o seu poste como candidato à senador, comprando outra briga, dessa vez com o PSB de Lídice da Mata, que já era senadora, mas ficou impossibilitada de disputar a reeleição, porque o governador Rui Costa peitou o partido e a senadora, pois tinha compromissos com Otto. Lídice desistiu e foi candidata à deputada federal.
Foi eleito senador na onda de Wagner, eram duas vagas. Quatro anos depois, uma verdadeira guerra que o PT e o seu governador estão enfrentando, o senador Coronel se esconde. Afasta-se da campanha, corre dela como o diabo corre da cruz. Mais uma ingratidão no seu vasto currículo de TRAIÇÕES.
Como desculpa da sua ausência ou da sua traição já esperada por muitos, o senador soldado raso, pois não tem competência, afirmou que: “TENHO AMIGO DOS DOIS LADOS DA DISPUTA. SOU AMIGO DE JERÔNIMO RODRIGUES E DO CORRELIGIONÁRIO OTTO ALENCAR (PSD) E DE ACM NETO (UNIÃO BRASIL) E CACÁ LEÃO (PP), O QUE DIFICULTA QUE ENTRE DE CABEÇA EM ALGUMAS DAS CAMPANHAS. É UMA SITUAÇÃO ATÉ UM POUCO DELICADA PARTICIPAR DE UMA CAMPANHA TENDO AMIGOS COMO ADVERSÁRIOS”.

É ser muito cínico. Frio. Calculista. É o verdadeiro Judas Iscariotes do senado federal. As suas atitudes envergonham e enxovalham um poder, que já teve políticos baianos que nos honravam, hoje temos um que nos envergonha. Que saudades de Ruy Barbosa, Antonio Balbino, João Mangabeira, Juracy Magalhães, Luiz Viana Filho, Lomanto Júnior, Josaphat Marinho, Walter Pinheiro… e deixamos por último, para citarmos o nome daquele que foi o maior de todos: ANTONIO CARLOS MAGALHÃES, que nunca deu colher ao atual senador e só se dirigia a ele como traidor… falso… insignificante.
(ANTONIO CARLOS FARIAS NUNES é Bacharel em Administração, Bacharelando em Ciências Políticas, ex-Professor de História da Filosofia no Colégio Castro Alves, em Gandu; ex-Professor de OSPB e EMC da Escola de 2º. Grau Eliseu Leal, em Gandu. Ex-funcionário dos Bancos BANEB e Brasil em Gandu; Ex assessor dos deputados Osvaldo Souza, Nestor Duarte e Félix Mendonça; Ex-Vice prefeito e ex-prefeito de Gandu)

.

Comentários estão fechados.