WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

OPINIÃO DE ZEBRÃO: NÃO DEVE SER LEVADO EM CONSIDERAÇÃO QUANDO SE DIZ: CANDIDATO TAL TEM APOIO DE MAIS DE 300 PREFEITOS

.

As pessoas tem a memória curta, principalmente quando fatos que aconteceram no passado, estão a se repetir. O jovem não. O jovem não lê, não gosta, principalmente quando o assunto é política.
Quanto lemos hoje que mais de 300 prefeitos dos municípios baianos estão a apoiar o candidato do governador Jerônimo Rodrigues, damos sonoras gargalhadas. O tempo passa, o tempo voa…

JOÃO DURVAL, JOSAPHAT MARINHO E ACM.

Nas eleições para governador em 1986, o candidato oficial do governo era um dos mais ilustres baianos, Prof. Josaphat Marinho. Governava o nosso estado João Durval Carneiro assessorado por nada mais nada menos que Antonio Carlos Magalhães, que era ministro das Comunicações.
João Durval realizou um governo de paz. Foi o melhor governador que já existiu para os professores. O melhor para os policiais. O melhor para os políticos pequenos, que eram recebidos na governadoria como se autoridades fossem. Presidente de partidos, vigésimo suplente de vereador para baixo por menor que fosse a cidade do interior, tinha amplo acesso à governadoria.

Os prefeitos eram tratados à mingau e a pão de ló. Quase a totalidade dos prefeitos dos 417 municípios do estado estavam a apoiar Josaphat. Contava-se nos dedos os prefeitos que faziam oposição à época. Não completava as duas mãos, eram menos de DEZ.
Os jornais estampavam em suas manchetes: QUASE A TOTALIDADE DOS PREFEITOS BAIANOS ESTÃO COM JOSAPHAT… o mesmo retrato dos dias atuais.
O candidato de oposição Waldir Pires, foi eleito governador com 2.675.108 votos. O candidato da situação Josaphat Marinho, obteve menos da metade dos votos ou seja: 1.218.520 votos.
Não adiantaram prefeitos terem apoiado Josaphat Marinho, pois prefeito vota, apóia, mas quem escolhe é o povo. Não combinaram com os eleitores. Como não combinaram com os russos, segundo Garrincha.
E hoje quando vemos os petistas de memória curta, os petistas aloprados tanto quanto os bolsonaristas (afinal, nasceram da mesma barriga), é porque certamente não conhecem a história das eleições em nosso estado.

Já afirmamos em vários artigos, que o voto de ACM Neto é natural, é o voto da mudança, é o voto da falta de segurança que o PT perdeu o controle. É o voto da falta de educação em nosso estado que atingiu os piores índices com Jerônimo como secretário. É o voto do saudosismo. São 16 anos de governo do PT. Oito anos de Jaques Wagner que foi uma verdadeira MERDA.

Mas felizmente ele acertou (o que Wagner fez mais certo em seu governo), quando escolheu Rui Costa para sucedê-lo. Continuamos a reconhecer que o atual governador da Bahia, é um dos maiores e melhores do Brasil. Mas quem tem essa opinião é quem é isento. O eleitor não… até se esquece o que Rui fez pela Saúde, o que os últimos 20 anos de governo do estado não foi feito, incluindo os OITO anos do cachaceiro Jaques Wagner.
Não existe essa que 350 prefeitos estão a apoiar Jerônimo. Em nossa opinião, não funciona.
Mas para que não nos acusem de saudosistas, vamos relembrar um fato mais recente, de 16 anos atrás.

Paulo Souto foi candidato à reeleição ao governo do estado da Bahia em 2006, ACM por trás dando-lhe todas as dicas, com a possibilidade de levar seu partido a um inédito quinto mandato consecutivo à frente do Palácio de Ondina. Desde o fim do regime militar em 1985, nunca um partido político conseguiu se manter tanto tempo ininterruptamente no poder.
Chegaram a propor para que fosse trocado o nome de Palácio de Ondina, para Palácio do PFL…

Em 2002 candidato ao governo do estado, derrotou Jaques Wagner, vencendo no primeiro turno, 53,6% contra 35%. Quatro anos depois, em 2006, candidato à reeleição, mais uma vez o seu adversário foi Jaques Wagner.
Souto com o poder na mão, com mais de 300 prefeitos a apoiá-lo, Wagner devolveu a derrota de quatro anos antes, vencendo no primeiro turno. Para se ter uma idéia, Wagner venceu em 397 cidades da Bahia, Geddel venceu em 13 e Paulo Souto, governador da Bahia em apenas SETE.
Mas ele não tinha o apoio de mais de 300 prefeitos? Tinha, tinha… e era o governador do estado. Só que se esqueceram de combinar com os eleitores.
Então caros leitores do blogdozebrao, não se entusiasmem não, quando um grupo político disser que existem 300, 400 prefeitos a apoiar tal candidato. Perguntem sempre: JÁ COMBINARAM COM OS ELEITORES?

(ANTONIO CARLOS FARIAS NUNES é Bacharel em Administração, Bacharelando em Ciências Políticas, ex-Professor de História da Filosofia no Colégio Castro Alves, em Gandu; ex-Professor de OSPB e EMC da Escola de 2º. Grau Eliseu Leal, em Gandu. Ex-funcionário dos Bancos BANEB e Brasil em Gandu; Ex assessor dos deputados Osvaldo Souza, Nestor Duarte e Félix Mendonça; Ex-Vice prefeito e ex-prefeito de Gandu)
.

Comentários estão fechados.