WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

TRANSPLANTE DE MICRORGANISMOS BENÉFICOS – Pelo Prof. ANTÔNIO MOREIRA NETO – NETTÃO

.

Lendo minhas reportagens semanais de revistas científicas, me deparei com uma, que venho compartilhar com meus amigos leitores do blog do Zebrão. O assunto é um pouco estranho; “repopular o intestino de um receptor com microrganismos benéficos de um doador saudável”.
É isso mesmo que você leu acima, retirar microrganismos, como por exemplo do intestino, de uma pessoa e povoar o órgão de outra, o transplante de microbiota fecal.
Cientistas acreditam que, no futuro, doenças crônicas, sem tratamento definido e que hoje afligem milhões de pessoas poderão ser tratadas com a ingestão de uma simples cápsula, feita de microrganismos que um dia habitaram o intestino de alguém.

E o leitor me pergunta? Seria então receber fezes de outra pessoa? Não é bem assim. É apenas a introdução de microrganismos benéficos a saúde, que vivem no intestino de uma outra pessoa e que podem ajudar a combater doenças em um determinado paciente. Todos os seres vivos do planeta vivem em associação muito próxima a uma multidão de diferentes microrganismos: bactérias, vírus, archaeas, fungos e até os protozoários, que habitam os diferentes tecidos do corpo humano sem causar danos. São
trilhões e trilhões de células microscópicas que vivem na nossa pele, boca, nos intestinos, órgãos genitais e onde mais conseguirem se instalar.
O transplante já é realidade, como também já foi praticado à décadas atrás. Hoje em dia é utilizado técnicas bem mais detalhadas e com seleções de determinados pacientes que passaram em vários testes.
A reportagem que me fez escrever este artigo encontra-se na revista ciência hoje, com todos detalhes da técnica. O leitor pode ficar tranquilo pois ninguém vai consumir fezes de ninguém. (Bibliografia: Revista Ciência Hoje/julho2022)
*O artigo não reflete necessariamente a opinião do blog (contrariamente aos editoriais, que são a posição oficial)

ANTÔNIO MOREIRA NETO – NETTÃO,
Licenciado em Física pela FACE e Engenheiro Agrônomo pela UFBA. Professor de Física e Química dos Colégios: Durval Libânio, Colégio Santo Antônio e Colégio Nobre)

.

Comentários estão fechados.