WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

PRODUTIVIDADE E INOVAÇÃO – Pela Admª. TAIS GASPAR

.

Não importa qual o setor ou segmento de negócio, sem incremento da produtividade e investimento em inovação não há possibilidade de crescimento e sua manutenção no mercado também estará ameaçada.
Infelizmente, os dados brasileiros não são estimulantes quando o assunto é produtividade… O Brasil apresenta um quadro de produtividade do trabalho praticamente estagnado. Entre 2000 e 2016, a produtividade na indústria brasileira cresceu apenas 8,8%, o menor percentual entre nossos principais parceiros comerciais. A baixa produtividade do trabalho prejudica a competitividade da indústria brasileira no mercado doméstico e no mercado internacional.
A estagnação da produtividade da economia brasileira nos últimos anos se deve, entre outros fatores, à baixa atividade de inovação do setor industrial no país. A fim de mudar esse quadro serão necessárias políticas públicas que fortaleçam a agenda da inovação e, principalmente, de um esforço maior da iniciativa privada em incorporá-la.
Mas antes de culpar a economia, o governo e a concorrência, o empresário brasileiro precisa assumir a responsabilidade pela eficiência na gestão do seu negócio. O aperfeiçoamento contínuo da gestão empresarial é determinante para a obtenção de ganhos de produtividade e competitividade.
O perfil da liderança é de fundamental importância na condução do negócio no rumo da produtividade.
Como fazer isso?
Primeiramente é preciso entender que metas e indicadores são fundamentais no crescimento de qualquer negócio. Sem um objetivo defino não se sabe onde quer chegar e cada um acaba fazendo o que quer, da forma que acha correta, ou seja… “qualquer caminho vai te levar a lugar nenhum!!!”
Outro fator que não pode passar despercebido é a determinação de indicadores de desempenho. Aquilo que não se mede, não se gerencia! Qual o percentual de conversão, qual a lucratividade, rentabilidade, receita por colaborador… são indicadores básicos para qualquer negócio ou projeto.
Não se pode esquecer que para aumentar a produtividade é preciso estar sempre repensando os processos da organização…. É preciso acompanhar cada ideia é “pivotar” caso não tenha o resultado esperado. Lembre-se que o segredo é errar de forma rápida e barata.
Pensando nisso, há três variáveis importantes nos projetos de inovação:
Qual é o problema a ser resolvido e por que ele é importante para seu cliente;
Qual solução que melhor resolve o problema e te diferencia ao máximo da concorrência; e
Qual a viabilidade dessa solução em termos de retornos financeiros para a empresa.
FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO
Na condução do negócio voltado a produtividade e inovação, alguns fatores críticos precisam ser considerados para aumentar o determinante de sucesso do projeto. São eles:
1. RESPONSÁVEL – Defina o responsável pelo projeto. Ainda que seja uma iniciativa multidisciplinar e que várias pessoas e áreas estejam envolvidas, tenha definido um “dono” claro. Não para penalizar algum quando tudo der errado, mas para ter alguém claramente responsável por buscar as respostas para todas as perguntas importantes.
2. COMITÊS MULTIDISCIPLINARES – Envolva várias áreas e stakeholders nos comitês de avaliação do projeto. Tenha pessoas que não estão envolvidas diretamente, com conhecimento profundo e técnico sobre o assunto. Um olhar com menos viés, de um prisma diferente e mais isento, traz perguntas extremamente importantes que por vezes passam despercebidas. Provoque discussões… quanto mais se conhece o projeto, mais fácil de aparar arestas.
3. REVISÕES FORMAIS – Se você não tiver um processo bem definido de gestão de projetos, é importante definir claramente, na hora do planejamento, quais perguntas serão respondidas e em que sequência e prazo. E tenha disciplina no acompanhamento, tanto dos prazos quanto das entregas.
4. VISÃO DO NEGÓCIO – Use o mesmo princípio do empreendedorismo e dos ciclos de capital de risco. Nas etapas iniciais de investigação, aloque orçamentos restritos para o projeto primeiro provar seu conceito, depois a demanda e assim por diante, mas apenas autorize uma maior quantidade de recursos quando tiver respondido as principais perguntas que citamos no começo do artigo. Dali em diante é “só” disciplina de execução.
Lembre-se, com essas informações, você já pode começar a estruturar ou até mesmo repensar o seu processo de inovação. Um bom planejamento vai te ajudar a inovar de maneira mais assertiva e organizada.
Gostou deste artigo? Curta, compartilha com os amigos… Quer saber mais sobre gestão para resultados?? Me chama no whats….
Até a próxima!!!

(Tais F. Gaspar de Araújo – Master Coach, Consultora e Treinadora Empreenda Consultoria)
.

Comentários estão fechados.