WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

GOVERNADORES DO NORDESTE DIZEM QUE BOLSONARO PROMOVE “ATENTADO À VIDA”

.

Após videoconferência realizada na última sexta-feira (27) – a segunda da semana – os governadores do Nordeste divulgaram uma nova carta manifestando indignação com a postura do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em contrariar recomendações de entidades reconhecidas na área da saúde em relação ao novo coronavírus (covidd-19), ao defender a flexibilização do isolamento social.
Os governadores também criticam a campanha lançada pelo governo federal intitulada “Brasil não pode parar”, que incentiva a população a voltar a circular nas ruas.
“(O governo federal) promove campanha de comunicação no sentido contrário, estimulando, inclusive, carreatas por todo o país contra a quarentena. Este tipo de iniciativa representa um verdadeiro atentado à vida”, diz trecho da carta.
Os nove gestores ressaltaram que continuarão avançando na integração regional, apesar da “ausência de efetiva coordenação nacional, que deveria ser assumida pelo Governo Federal”, e dizem acreditar no “poder decisivo” do Congresso Nacional no momento.
Após videoconferência realizada na última sexta-feira (27) – a segunda da semana – os governadores do Nordeste divulgaram uma nova carta manifestando indignação com a postura do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em contrariar recomendações de entidades reconhecidas na área da saúde em relação ao novo coronavírus (covidd-19), ao defender a flexibilização do isolamento social.
Os governadores também criticam a campanha lançada pelo governo federal intitulada “Brasil não pode parar”, que incentiva a população a voltar a circular nas ruas.
“(O governo federal) promove campanha de comunicação no sentido contrário, estimulando, inclusive, carreatas por todo o país contra a quarentena. Este tipo de iniciativa representa um verdadeiro atentado à vida”, diz trecho da carta.
Os nove gestores ressaltaram que continuarão avançando na integração regional, apesar da “ausência de efetiva coordenação nacional, que deveria ser assumida pelo Governo Federal”, e dizem acreditar no “poder decisivo” do Congresso Nacional no momento.
Eles garantiram que permanecerão agindo de acordo com a “ciência e pela experiência nacional”, na tomada de decisões contra o coronavírus, através principalmente da Organização Mundial da Saúde. E informaram que entrarão com pedidos de pronunciamento do Conselho Federal de Medicina, do Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Saúde e da Sociedade Brasileira de Infectologia, e também do Ministério Público Federal (MPF) e dos ministérios públicos estaduais para “fortalecer o embasamento” das suas medidas.
PARTE INFERIOR DO FORMULÁRIO
Após videoconferência realizada na última sexta-feira (27) – a segunda da semana – os governadores do Nordeste divulgaram uma nova carta manifestando indignação com a postura do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em contrariar recomendações de entidades reconhecidas na área da saúde em relação ao novo coronavírus (covidd-19), ao defender a flexibilização do isolamento social.
Os governadores também criticam a campanha lançada pelo governo federal intitulada “Brasil não pode parar”, que incentiva a população a voltar a circular nas ruas. “(O governo federal) promove campanha de comunicação no sentido contrário, estimulando, inclusive, carreatas por todo o país contra a quarentena. Este tipo de iniciativa representa um verdadeiro atentado à vida”, diz trecho da carta.
Os nove gestores ressaltaram que continuarão avançando na integração regional, apesar da “ausência de efetiva coordenação nacional, que deveria ser assumida pelo Governo Federal”, e dizem acreditar no “poder decisivo” do Congresso Nacional no momento.
Eles garantiram que permanecerão agindo de acordo com a “ciência e pela experiência nacional”, na tomada de decisões contra o coronavírus, através principalmente da Organização Mundial da Saúde. E informaram que entrarão com pedidos de pronunciamento do Conselho Federal de Medicina, do Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Saúde e da Sociedade Brasileira de Infectologia, e também do Ministério Público Federal (MPF) e dos ministérios públicos estaduais para “fortalecer o embasamento” das suas medidas.
A relação começou a ficar mais crítica após pronunciamento de Bolsonaro em rede nacional na última terça-feira (24), quando o presidente afirmou que os governadores deveriam “abandonar o conceito de terra arrasada” devido a proibição da abertura de estabelecimentos comerciais e escolas adotada nos estados.
A fala gerou uma série de reações por parte de lideranças políticas, incluindo o governador Paulo Câmara (PSB, que afirmou que o discurso do presidente comprova que “O Brasil está sem comando”.
Na carta, os governadores do Nordeste pedem que Bolsonaro cesse “as agressões contra os governadores, assumindo-se um posicionamento institucional, com seriedade, sobre medidas preventivas”, diz trecho da carta.
“A omissão em padronizar normas nacionais e a insistência em provocar conflitos impedem a unidade em favor da saúde pública. Assim agindo, expõe-se a vida da população, além de assumir graves riscos no tocante à responsabilidade política, administrativa e jurídica”, completa a carta.
LEIA A ÍNTEGRA DA CARTA DOS GOVERNADORES DO NORDESTE
Nós, governadores do Nordeste, em videoconferência realizada neste dia 27 de março, assim nos manifestamos:
Assinam esta carta:
Rui Costa
Governador da Bahia
Renan Filho
Governador de Alagoas
Camilo Santana
Governador do Ceará
Flávio Dino
Governador do Maranhão
João Azevedo
Governador da Paraíba
Paulo Câmara
Governador de Pernambuco
Wellington Dias
Governador do Piauí
Fátima Bezerra
Governadora do Rio Grande do Norte
Belivaldo Chagas
Governador de Sergipe (Fonte: Correio)

.

Comentários estão fechados.