WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

EM LUTO POR MEIO MILHÃO DE VIDAS NO BRASIL – Pelo Prof. ISRAEL LEAL

.

Uma vida já é muito, agora, 500.000 vidas, histórias e sonhos interrompidos enfim, são perdas irreparáveis.
São mais de 15 meses acompanhando todos os dias e de forma ininterrupta, sofrimentos de famílias que perderam seus entes queridos, vidas com nomes e histórias.
Penso que centenas de pessoas que conheci e convivi, nos foram roubadas prematuramente por conta desta maldita doença.
Juntando à mortalidade desta doença, a irresponsabilidade mórbida daqueles que nos governam e que tratam com desdém a gravidade da pandemia, foi que chegamos a esse terrível patamar.
Agora mesmo, como foram todos os dias destes tempos pandêmicos, sentimos a dor e a angústia de muitas famílias desesperadas com seus queridos contaminados, infectados, internados, entubados em UTIs em todo mundo.
Esta semana, como foram todos estes últimos cinco trimestres consecutivos, participei até de velórios virtuais, tentando amenizar com palavras de amor e ternura, as dores reais que milhares de pessoas estão vivendo em todo o país.
Estou em luto e em lágrimas permanentes por todos que sepultaram seus entes queridos.
Por isso, cuidemos uns dos outros, pois essa maldita pandemia ainda não passou, porém a irresponsabilidade de diversas lideranças políticas, econômicas e até religiosas, estão até fingindo se importar, contudo, agem como quem nunca se importou com as pessoas e suas histórias.
Infelizes os profetas (líderes religiosos) que se sentem confortáveis à mesa do rei e infelizes os que se sentem confortáveis aprovando estes profetas e este rei. Lamento por todos. Sinto-me triste, inconformado e cada dia mais distante deste tipo segmento religioso.
Que Deus, o Pai Eterno se apiede de nós e interrompa este ciclo de morte.

(ISRAEL LEAL – Mestre em Teologia/ Professor da Rede Pública/ Licenciado em História/ Pós-graduando em História da Cultura Afrodescendente no Brasil/ Bacharel em Direito/ Pós-graduado em Compilance Jurídico)
.

Comentários estão fechados.