WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

UMA HOMENAGEM AO DIA DA ÁRVORE – Pelo Prof. ISRAEL LEAL

.

Hoje é um dia especial, é o DIA DA ÁRVORE aqui no hemisfério sul. Este ser vivo que nos oferece tantas coisas vitais, tem um dia totalmente dedicado a ela para reforçar sua grande importância e despertar a nossa consciência ambiental.
Os nossos povos originários deixaram seu legado, seu amor e respeito ao meio ambiente e em especial a árvore. No Brasil este cuidado com as árvores devem ser redobrados, pois temos o “pulmão do Mundo”, aqui em nossa Amazônia.
Essa celebração do dia, vem junto com a chegada da Primavera, a estação da renovação e do recomeço. Com isso, homenageamos as árvores, que oferecem desde ar puro, sombra e matéria-prima para o homem desenvolver tantos objetos para ter uma vida melhor.
Infelizmente, por muitos anos, o homem não se preocupou com as árvores e muitas delas entraram em extinção. A pouco tempo que começou um trabalho de reflorestamento e conscientização ambiental na nascente do Rio Gandu, em busca de salvar o próprio rio, as espécies, manter o clima do município estável, frear o aquecimento global, dentre outras que ocorreram com o desmatamento da nossa Mata Atlântica.

Tenho orgulho em ter plantado no governo do ex-prefeito Zebrão, os primeiros ficus da entrada da cidade de Gandu que foram plantadas para trazer mais verde, mais sombras, mais oxigênio e consequentemente mais beleza à nossa cidade.
Que possamos como educadores e família, ensinar aos nossos jovens e adolescentes a cuidar e preservar o nosso meio ambiente, vendo sempre a árvore como sua grande amiga e aliada por toda a vida.
O Brasil é o país dos biomas, da fauna, da flora, da ecologia e do meio ambiente. Por isso, as árvores ganha o seu dia na busca de uma conscientização para preservar o nosso verde das matas e florestas.
Encerro esse texto com a poesia da música Matança do poeta Jatobá, cantado pelo baiano Xangai:
Quem hoje é vivo corre perigo E os inimigos do verde dá sombra ao ar Que se respira e a clorofila Das matas virgens destruídas vão lembrar
Que quando chegar a hora É certo que não demora Não chame Nossa Senhora Só quem pode nos salvar
É caviúna, cerejeira, baraúna Imbuia, pau-d’arco, solva Juazeiro e jatobá…”.
https://youtu.be/rsDklK21qaI

(ISRAEL LEAL – Mestre em Teologia/ Professor da Rede Pública/ Licenciado em História/ Pós-graduando em História da Cultura Afrodescendente no Brasil/ Bacharel em Direito/ Pós-graduado em Compilance Jurídico)
.

Comentários estão fechados.